Tecnologia na saúde: conheça os desafios de aplicação e os benefícios das ferramentas digitais

Algoritmos inteligentes, comunidades virtuais de pacientes, próteses feitas com impressão 3D, plataformas digitais de controle da clínica ou consultório… Pode parecer futurista, mas essas ferramentas são resultado da aplicação da tecnologia no setor de saúde e vêm contribuindo para melhorar cada vez mais o dia a dia das pessoas.

De acordo com o estudo da International Data Corporation (IDC), até o final de 2022, o investimento em tecnologias no setor de saúde da América Latina deve chegar à marca de 10 bilhões de reais.

Entretanto, embora haja essas perspectivas positivas, a implementação da tecnologia pode ser um passo extremamente desafiador. Isso ocorre porque muitos profissionais têm dificuldade de entender quais são as ferramentas mais adequadas para atender cada necessidade ou, mesmo, não conhecem as vantagens da aplicação.

Para auxiliar nesse quesito, preparamos um artigo especial. Vamos abordar a transformação digital na saúde, explorando quais são os principais desafios e alguns motivos para implantar a tecnologia na saúde. Boa leitura!

Uma nova forma de entender os processos na saúde

A transformação digital está mudando a maneira como as pessoas cuidam da saúde e como os profissionais da área atuam. Prova disso foi a larga adesão da telemedicina durante a pandemia de Covid-19.

A telemedicina permitiu que médicos e pacientes se comunicassem remotamente por meio do uso de aplicativos móveis ou por videoconferência, sem a necessidade de deslocamentos até um local físico, como consultório médico, clínica ou hospital. 

Essa abordagem facilitou o contato de familiares com pacientes isolados, o recebimento da prescrição médica necessária para pessoas de grupos de risco comprarem medicações e, claro, serviu para evitar a propagação do vírus. 

Essa nova personalização e experiência do paciente trouxe à tona a necessidade da área da saúde utilizar plataformas tecnológicas e fazer melhorias contínuas para melhorar a qualidade do atendimento. 

Além disso, a aplicação da tecnologia no setor também pode ser visualizada em uma melhor gestão do sistema de saúde, garantindo rotinas ainda mais rápidas e organizadas.

As tecnologias que tornam possível

As tecnologias na saúde trouxeram possibilidades inimagináveis para o cotidiano e, por trás de evoluções como essas, existem elementos complexos. Confira a seguir algumas aplicações da tecnologia na medicina.

Impressão 3D

A impressora 3D pode ser utilizada para otimizar a qualidade de diagnósticos e tratamentos. Em um ultrassom abdominal, por exemplo, as imagens dos órgãos podem ser digitalizadas e impressas em três dimensões, o que facilita a interpretação dos resultados.

Além disso, o potencial da impressão na área da saúde é tão grande que já existem muitos casos em que ela está sendo aplicada diretamente. A impressão 3D, por exemplo, vem permitindo a fabricação de biomodelos que são utilizados ​​para testar intervenções cirúrgicas. 

Outro exemplo é a elaboração de implantes personalizados, muito aplicados em peças odontológicas.

Sistemas de gestão de documentos

Chamado de ECM, o Enterprise Content Management ou Gestão de Conteúdo Empresarial, no português, é um conjunto de tecnologia que facilita a geração, controle, armazenamento, gerenciamento, compartilhamento e recuperação de informações existentes em documentos. 

Sistemas ECM permitem que os usuários acessem documentos de forma ágil e segura, via web. Nesse sentido, o ECM permite preservar esse conteúdo e organizar eletronicamente qualquer tipo de documentação, para disponibilizar a informação necessária na hora exata, para a pessoa certa.

Inteligência artificial 

A Inteligência Artificial (IA) consiste em sistemas equipados com aprendizado de máquina que usam dados e algoritmos para fornecer novos pontos de vista aos profissionais, a fim de ajudá-los a tomar decisões sobre diagnósticos e tratamentos. 

Assim, a IA é capaz de detectar padrões ocultos em dados que são de ajuda inestimável para os médicos. Ela também possibilita reduzir o tempo que esse profissional gasta com documentação, garantindo que tenha mais tempo para lidar com os pacientes.

Internet das coisas (IoT)

A possibilidade de ter dispositivos médicos conectados entre si traz uma série de melhorias. É o caso do uso intensivo de soluções em nuvem (salvamento de prontuários de forma segura, barata e de fácil acesso), a democratização dos dados (todas as partes podem participar do processo), o monitoramento remoto ou a aplicação prática de Big Data.

Tecnologia na saúde em discussão

Recentemente, na quarta edição do European Patient Innovation Summit (EPIS), mais de 300 organizações de pacientes de toda a Europa, juntamente com especialistas em saúde digital, discutiram como otimizar a aplicação de novas tecnologias aos cuidados de saúde. 

O resultado da análise da revolução que as aplicações e ferramentas digitais representam para os cuidados de saúde e para a qualidade de vida dos pacientes deu origem a nove grandes blocos de ferramentas largamente implementadas na saúde:

  • Plataformas digitais ou portáteis que facilitam a coleta de dados sobre diferentes aspectos da saúde, incluindo qualidade de vida e sintomas vivenciados;
  • Plataformas onde os pacientes podem fazer consultas online com um médico ou psicólogo e ter um acompanhamento por WhatsApp ou e-mail;
  • Sistemas que permitem aos pacientes marcar consultas pela Internet com hospitais e especialistas. Também há renovação da receita médica para que as receitas cheguem diretamente na farmácia local via online;
  • Comunidades digitais de pacientes para compartilhar informação, ter uma melhor compreensão da patologia e encontrar uma rede de apoio;
  • Aplicativos que auxiliam no agendamento da medicação, definem lembretes para tomar esse medicamento e informam quando é necessária a renovação da prescrição ou se existe interação entre os remédios; 
  • Algoritmos inteligentes (inteligência artificial), interfaces baseadas em texto ou voz (chatbots) que podem fornecer informações aos pacientes, ajudar na triagem dos problemas enfrentados e fornecer aconselhamento e suporte inicial para gerenciar a situação;
  • Registro de saúde eletrônico (HSE ou EHR) ou um registro médico eletrônico (EMR), uma coleção sistematizada de informações digitais de saúde sobre pacientes;
  • Ferramentas educativas, incluindo jogos (gamificação), que ajudam a capacitar as pessoas que estão doentes;
  • Dispositivos inteligentes que ajudam os pessoas com deficiência a levar uma vida o mais independente possível.

Apesar da discussão ocorrer entre entidades europeias, suas tendências deverão ser compartilhadas com os demais países do planeta como forma de criar uma unidade conjunta para implantação de novas tecnologias na saúde.

Considerações finais

Podemos concluir que a tecnologia na área da saúde está em constante evolução, uma vez que as soluções digitais implicam em um maior  envolvimento do paciente na gestão da sua saúde e na tomada de decisões com a ajuda de um profissional. Ao mesmo tempo, constroem uma relação mais próxima entre ambas as partes.
Esperamos que tenha gostado do artigo e, para aprofundar mais seu conhecimento na área, sugerimos a leitura do artigo Gestão hospitalar: Ideias para redução de custos em hospitais.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *